Como implementar a cultura de segurança da informação através de gamificação nas organizações?

Ao implementar a cultura de segurança da informação, sua organização é protegida contra vazamento de dados e falhas de segurança ao capacitar os colaboradores e conscientizá-los sobre a importância da discrição sobre dados pessoais e sensíveis.


Uma cultura de segurança da informação pode ser entendida como um conjunto de valores, crenças, conhecimentos e práticas que as organizações possuem e que as direcionam e guiam seus colaboradores para performar suas atividades do cargo de uma maneira segura e protegida.

Essa cultura tem, como principal objetivo, conscientizar as equipes sobre os riscos de ações que são consideradas simples e inofensivas no trabalho, mas que podem prejudicar a segurança da empresa.

Então a cultura de segurança da informação previne, educa e institui novos hábitos aos colaboradores para prevenir possíveis brechas na proteção de dados e informações pessoais e sensíveis da organização.

Quais são os benefícios de implementar uma cultura de segurança da informação no negócio?

Como a cultura da segurança da informação é composta por ações que previnem, educam e implementam novos hábitos aos colaboradores da empresa, os seus benefícios principais incluem:

  • Segurança dos dados estratégicos: as informações sensíveis da organização são protegidas contra falhas e perdas;

  • Redução de chances de danos: os impactos negativos provenientes de tentativas de ataques à empresa são minimizados;

  • Prevenção de vazamento de dados pessoais: a companhia é protegida contra as possíveis sanções aplicadas pela Lei Geral de Proteção de Dados.

Esses benefícios são capazes de assegurar a proteção da organização como um todo ao conscientizar os colaboradores dos problemas que envolvem a falha na segurança e proteção da informação e de dados pessoais e sensíveis do estabelecimento.

Como realizar a implementação da cultura de segurança da informação nas organizações?

O Instituto Ponemon relata, em sua pesquisa, que 32% das violações de segurança da informação acontecem devido à ingenuidade dos colaboradores, sendo a segunda maior causa da exposição de dados e informações das organizações.

Sendo assim, com este cenário sendo realidade no país, é importante saber como realizar a implementação da cultura de segurança da informação na sua empresa, então acompanhe as cinco etapas de sua adoção a seguir.

Etapa #1: investir em treinamentos corporativos gamificados para colaboradores

O investimento em treinamentos corporativos gamificados é o primeiro passo para realizar a implementação da cultura de segurança da informação porque capacita os colaboradores a compreenderem sua importância e como colocá-la em prática na empresa.

Assim se torna possível evitar que haja falhas na segurança da organização, sanções relacionadas à LGPD, vazamento ou danificação de dados, e muito mais, visto que o erro humano é um dos principais problemas da proteção nas companhias.

Logo, ao investir na capacitação dos colaboradores, a equipe se conscientiza da proteção e segurança de dados pessoais e sensíveis da empresa e a cultura de segurança da informação começa a ser implementada no negócio.

Baixe a Planilha de levantamento das necessidades de treinamento

Etapa #2: promover uma boa comunicação interna entre as equipes

Basta uma simples brecha para colocar toda a organização em risco, então uma boa comunicação interna entre as equipes deve ser promovida e estimulada.

É comum que haja alguns colaboradores resistentes às mudanças, mas que precisam criar senso de responsabilidade. Para isso, o recomendado é incentivar a colaboração deles com a empresa, identificando falhas e repassando informações relevantes aos técnicos.

Logo, estabelecer uma comunicação interna entre todas as equipes de todos os setores é fundamental para os próximos passos da implementação da cultura de segurança da informação nas organizações.

Etapa #3: estabelecer métricas realistas para a organização

A segurança da informação é baseada em números e fatos concluídos a partir deles. Essa ação permite que os líderes e gestores estabeleçam métricas realistas para identificar fraquezas da organização que devem ser corrigidas.

Nessa etapa, o principal erro dos responsáveis por estabelecer essas métricas é focar nas que apontam algo positivo. Aqui, a ideia é focar naquelas que apresentam brechas, falhas e resultados negativos para que essas questões sejam solucionadas.

Algumas métricas que podem ser citadas para os gestores e líderes ficarem atentos são:

  • Identificação de apontamentos: essa métrica serve para identificar as lacunas de tecnologia existentes na empresa e como elas devem ser ajustadas para melhor eficácia na proteção de dados e informações pessoais e sensíveis;

  • Tempo médio para detecção (MTTD) e tempo médio para resposta (MTTR): o MTTD é o responsável por medir o tempo que os colaboradores levam para descobrir um incidente de segurança na empresa e o MTTR serve para calcular a média que a companhia demora para responder a essa ameaça após sua identificação. Quando esses indicadores estão baixos, a segurança da organização está comprometida;

  • Score de riscos: essa é a métrica responsável por indicar a pontuação da empresa em relação à postura de segurança dos colaboradores com base nas categorias de proteção, como a reputação de IP, integridade do DNS, correção de patches, vazamento de credenciais, segurança de rede, de sistemas e de estações de trabalho;

  • Cibersegurança: como as ameaças cibernéticas estão em constante evolução, é necessário que os técnicos da organização também estejam acompanhando o desenvolvimento tecnológico para proporcionar as adoções precisas para garantir a segurança da companhia. Essas métricas servem para avaliar a eficácia dos controles e das tecnologias que a empresa possui;

  • Riscos de ativos: por fim, essa métrica é capaz de verificar quais dispositivos representam maior impacto para a organização, visto que devem estar sempre corrigidos e atualizados para maior eficiência de segurança. Por meio dessa métrica, o tempo e os recursos financeiros são otimizados, o que contribui para a gestão de riscos de ativos.

Etapa #4: entrar em contato com uma solução em educação corporativa

Ao entrar em contato com uma solução em educação corporativa, a implementação da cultura de segurança da informação através da gamificação se torna mais simples, eficiente e rápida porque capacita os colaboradores ao mesmo tempo que se divertem.

A gamificação é uma excelente ferramenta para estimular o engajamento da equipe nos treinamentos corporativos e, hoje, existem empresas especializadas em suprir as lacunas de conhecimento da equipe e atingir as expectativas de aprendizagem da organização.

Conclusão

Na cultura de segurança da informação, o conhecimento e conscientização dos colaboradores é fundamental para garantir a proteção da organização em todos os níveis organizacionais.

Portanto, pode-se afirmar que a sua implementação é necessária para reduzir os riscos da empresa e prevenir o vazamento de dados por meio da segurança de dados pessoais e sensíveis, tanto dos colaboradores e clientes quanto de informações da organização.

Então como a gamificação e a educação corporativa tem um papel importante na capacitação dos colaboradores, o que corresponde à primeira etapa da implementação dessa cultura de segurança da informação, entre em contato com a Niduu e conheça as soluções de treinamentos corporativos para as suas equipes.

Clique aqui para conhecer a Niduu e forneça treinamentos de alto nível

Fonte: Niduu - Disseminando Conhecimento.

Niduu Somos uma startup de Educação Corporativa com uma solução que consegue treinar todos os colaboradores de qualquer nível de forma contínua, dinâmica e efetiva com base na Microlearning, Mobile Learning e Gamificação.

Comentar
Compartilhar