Diversidade e inclusão: por que equipes diversificadas conquistam melhores resultados?

A diversidade e inclusão já vem sendo pautada em muitas organizações atualmente e mostram dados relevantes acerca das vantagens que são agregadas para as companhias, como o impulsionamento da receita e a melhor tomada de decisões para os negócios.


Um programa de diversidade e inclusão entrega oportunidades de trabalho e de crescimento profissional que muitos grupos sociais não têm acesso com facilidade. Quando uma empresa investe em uma equipe inclusiva, alguns dados são observados, como:

  • Melhores decisões de negócio são tomadas em até 87% do tempo;
  • As decisões são duas vezes mais rápido com metade de reuniões quando o time segue um processo inclusivo de negócios;
  • Os resultados provenientes de tomada de decisões e execuções por equipes diversificadas são 60% melhores.

Mas apesar de conhecer esses dados, como estimular a diversidade e inclusão nas organizações, visto que existem grandes desafios acerca deste assunto que devem ser combatidos? Resposta: um programa de treinamento corporativo bem estruturado.

As capacitações são capazes de conscientizar os colaboradores, abrir suas mentes e desenvolvê-los de uma maneira geral, otimizando os resultados da empresa e dando suporte para que suas metas e objetivos sejam atingidos. Mas afinal, como isso é possível?

Como um treinamento em diversidade e inclusão otimiza os resultados empresariais?

A diversidade e inclusão nas empresas diz respeito à atração e retenção de pessoas que são multidimensionais, provenientes de diferentes raças, gêneros, orientações sexuais, culturas e habilidades.

Um estudo do Boston Consulting Group (BCG) pauta que a diversidade é um dos propulsores da inovação e que equipes diversificadas são responsáveis por gerar 19% mais receita para suas organizações.

Esse fenômeno acontece porque um dos benefícios da diversidade e inclusão é reunir e preparar os colaboradores para estarem mais sintonizados às necessidades de mudanças dos consumidores, demonstrando maior adaptabilidade e perspectivas variadas em relação à ideias e soluções.

Segundo uma análise de estudo realizada por Anna Powers, consultora e cientista, a diversidade é uma parcela essencial de um negócio bem-sucedido financeiramente, visto que representa a diversidade de mentes, ideias e abordagens que permitem a busca por soluções completas e otimizadas para as organizações.

Inclusive, a Harvard Business Review também se manifesta sobre o assunto e afirma que a diversidade é capaz de melhorar o desempenho financeiro das empresas e prosperar em um ambiente competitivo incerto que precisa de ideias criativas e soluções ousadas.

Assim, os treinamentos corporativos em diversidade e inclusão têm potencial de abordar os vieses e preconceitos dentro das organizações de maneira positiva, agregando diversos benefícios para as equipes, como o impulsionamento da adaptabilidade, criatividade e inovação do time, e para as empresas, como a otimização da receita e da implementação de abordagens progressistas no negócio.

As 6 práticas empresariais que tornam um treinamento em diversidade e inclusão bem-sucedido

Embora muitas organizações tenham avançado em práticas que incentivam a diversidade e inclusão nas empresas, ainda há muitas dificuldades envolvendo a superação de preconceitos que limitam colaboradores e equipes.

Devido a isso, o treinamento corporativo é necessário para conscientizar os profissionais e tornar a organização, um ambiente, de fato, diversificado e inclusivo. Acompanhe as seis práticas que devem ser colocadas em ação nas companhias para que isso seja alcançado.

Prática #1: investir na conscientização sobre a diversidade e inclusão de pessoas

A primeira prática para elaborar um treinamento em D&I é disponibilizar maneiras de estabelecer interações respeitosas e positivas no ambiente de trabalho, assim reduzindo a discriminação e o preconceito dos colaboradores.

É importante dar atenção às questões de vieses inconscientes, microagressões e comunicações interculturais na empresa para proporcionar uma capacitação eficiente que conscientize as pessoas sobre a importância de reconhecer e valorizar os demais.

Com isso, os colaboradores aprendem a enxergar as dificuldades e lutas dos próximos, trabalhar em conjunto e considerar as diversas perspectivas da equipe.

Prática #2: manter o treinamento em diversidade e inclusão a longo prazo

As capacitações relacionadas à diversidade e inclusão devem se manter a longo prazo para atingir efeitos positivos no conhecimento, atitudes e comportamentos dos colaboradores em relação aos grupos minoritários, como aponta o estudo de Katerina Bezrukova. 

Caso contrário, é comum que as pessoas sejam atingidas pela curva do esquecimento e seus comportamentos e atitudes regridam ao que eram antes do treinamento.

Vale ressaltar, ainda, que a diversidade e inclusão devem fazer parte da cultura organizacional e estarem interligadas à visão, missão e valores do negócio, tornando possível que a conscientização e desconstrução dos colaboradores continuem sendo reforçadas diariamente na empresa.

Prática #3: adaptar o treinamento corporativo às necessidades da empresa

É fundamental que o treinamento corporativo seja adaptado para a realidade e as necessidades da empresa levando em consideração o diagnóstico das lacunas de conhecimento dos colaboradores e o seu levantamento em planilha.

Além disso, também é essencial que os gestores e líderes conheçam as dificuldades que a empresa vivencia para que a diversidade e inclusão se torne parte do negócio de maneira eficiente, realizando pesquisas internas e análises frequentes para compreender o andamento da implementação e os comportamentos e atitudes das equipes.

Durante as capacitações, é interessante abordar os dados coletados em pesquisas e, se possível, expor trechos de situações reais que acontecem na empresa para mostrar a realidade vivida por grupos minoritários nas dependências da companhia, conscientizando e ensinando os demais colaboradores sobre a importância da diversidade e inclusão e os seus impactos positivos na sociedade.

Prática #4: planejar uma abordagem integrada na capacitação de colaboradores

Bezrukova e seus colegas de estudo também apontam que os colaboradores respondem melhor às capacitações e retém melhor os conhecimentos quando vários métodos de abordagem são utilizados, como palestras, discussões e exercícios.

Então os programas de diversidade e inclusão mostram maior impacto quando disponibilizados aos colaboradores como uma parcela de uma série de iniciativas que compreendem questões sociais nas organizações.

Por exemplo, é possível integrar a capacitação junto às discussões sobre diversidade cultural nas empresas ou implementá-la como parte fundamental do processo de integração de novos talentos na companhia.

Inclusive, os conteúdos interativos, objetivos e acessíveis são os mais indicados para que os colaboradores sejam impactados e tragam bons resultados para a empresa, com a capacitação fazendo uso da gamificação, do microlearning e do mobile learning.

Prática #5: incluir todos os colaboradores que integram a organização

A inclusão de todos os colaboradores da empresa, independentemente do seu setor ou nível no negócio, deve ser obrigatória quando se trata de treinamentos corporativos relacionados à diversidade e inclusão.

Logo, a participação de gestores e líderes de equipe é imprescindível, visto que essas pessoas influenciam as demais, sendo exemplos e inspirações a serem seguidos pelos membros da equipe, os quais se comprometem mais com o conhecimento ganho nas capacitações quando veem seus superiores envolvidos com a pauta em si. 

A participação de profissionais com cargos mais elevados, como executivos e CEOs, também mostra o comprometimento e a dedicação das organizações em relação à diversidade e inclusão em suas empresas e no mercado de trabalho, o que reflete positivamente no interno e no externo do negócio.

Prática #6: entrar em contato com uma solução em educação corporativa

Para disponibilizar um treinamento em diversidade e inclusão que seja eficiente, de alta qualidade e adaptado para as necessidades da equipe e da empresa, o recomendado é entrar em contato com uma solução em educação corporativa.

Como Jeremy Greenberg, fundador do Avenue Group, diz: “designar um membro da equipe, como o HRO ou o CFO, para liderar a sessão (de treinamento) é tentador, mas geralmente não é a melhor abordagem. Em vez disso, traga alguém que seja independente, tenha experiência em liderar essas sessões específicas, atue como uma figura de autoridade com base na experiência e não traga nenhuma ‘bagagem’ institucional porque (não é) um funcionário”.

Em outras palavras, os treinamentos corporativos devem ser elaborados por pessoas que sabem como estruturá-lo, sempre respeitando as necessidades da organização e impactando os colaboradores da melhor maneira possível para que o conhecimento e o desenvolvimento da atitude e do comportamento seja levado para a vida.

Conclusão

O treinamento em diversidade e inclusão é uma pauta que deve ser levantada em todas as organizações e, assim que possível, colocada em prática para entregar boas oportunidades a grupos minoritários, conscientizar e desenvolver os colaboradores e agregar benefícios relevantes às empresas.

No entanto, as capacitações, como vistas acima, devem ser elaboradas e estruturadas por uma solução em treinamentos corporativos experiente e confiável, como a Niduu. Então para implementar a diversidade e inclusão na sua empresa, entre em contato conosco e conheça todas as vantagens que entregamos para promover evolução da sua equipe!

Banner conheça a niduu

Fonte: Niduu - Disseminando Conhecimento.

Niduu Somos uma startup de Educação Corporativa com uma solução que consegue treinar todos os colaboradores de qualquer nível de forma contínua, dinâmica e efetiva com base na Microlearning, Mobile Learning e Gamificação.

Comentar
Compartilhar