E-learning: qual o impacto dessa tendência na educação corporativa?

Não é de hoje que a educação de forma geral está passando por transformações causadas pelas tecnologias e o meio digital, e o e-learning é um exemplo disso.

Esse formato de ensino revolucionou o setor educacional e mudou a maneira como o conhecimento e a aquisição de habilidades é encarada pelas pessoas.

Graças à união da tecnologia com a educação, as ferramentas e técnicas de e-Learning foi possível proporcionar uma experiência educacional mais completa e mais eficaz.

Ele também impactou de maneira significativa o mundo corporativo no que se refere ao engajamento e conhecimento dos funcionários. E trouxe novas possibilidades para alcançar diplomas, desenvolver conhecimentos e novas habilidades.

No Brasil, por exemplo, de acordo com o relatório Panorama do Treinamento no Brasilde 2017-2018, 51% do investimento em treinamento e desenvolvimento tem foco nas lideranças e 77% das empresas utilizam Ensino a Distância, ou EaD.

Esse número é bem relevante e manteve uma elevada média de crescimento. No entanto, apesar de muito significativo e de ter rompido importantes barreiras, o e-learning já se tornou obsoleto.

Continue lendo este artigo para descobrir melhor o que é o e-learning, como funciona a plataforma de e-learning, porque ela já não é mais a opção adequada e qual a sua relação com o mundo corporativo.

O que é e-learning?

colaboradora estudando pelo e-learning

O termo E-learning vem de “eletronic learning”, que em português, significa aprendizado eletrônico, ou seja, é uma modalidade de ensino a distância que utiliza do meio online para a disposição de conteúdos.

Dessa forma, o método possibilita a autoaprendizagem através da utilização de recursos didáticos organizados, apresentados em uma plataforma tecnológica de  armazenamento de informação e veiculados através da Internet.

O conteúdo pode variar em:

  • Vídeos;
  • Videoaulas;
  • Tutoriais;
  • Animações;
  • Storytelling, entre outros recursos.

E uma das suas principais características é o distanciamento de tempo e espaço entre aluno e professor, o que não é nenhum problema.

Apesar de apresentarem diferenças conceituais, na prática você pode encontrar como sinônimos de e-learning termos como: educação à distância (EaD) ou ensino online.

Porém, cuidado para não confundir, pois essa aplicação não serve para os casos em que são mescladas aulas presenciais às aulas online no sistema e-learning, o que passa a se chamar blended learning.

Seguindo esse conjunto de características das aulas online citadas anteriormente, existem dois focos diferentes a serem explorados, que nós vamos apresentar agora. Confira!

Tipos de E-learning

Existem duas formas de trabalhar o e-learning e você provavelmente já esbarrou com ambas.

A primeira é o chamado E-learning educacional, que era focado em cursos online dos mais variados tipos, como:

  • cursos livres;
  • preparatórios;
  • cursos universitários;
  • matérias escolares em geral, entre outros.

E a segunda forma é voltada para a educação corporativa, utilizado em empresas dos mais variados portes e segmentos.

Este último formato foi o primeiro passo dado em busca da resolução de um dos maiores desafios dentro de uma empresa, que está ligado a gestão de pessoas, assim como na modernização do setor de RH.

Manter colaboradores motivados e engajados com o trabalho e a empresa de modo geral, tem sido o ponto focal para a obtenção de bons resultados.

E seja para o e-learning educacional ou corporativo, em ambos os casos, o uso de uma plataforma se faz necessário e essencial.

Nesse ponto, a metodologia, apesar de ajudar, passou a ser questionada pela sua eficácia.

Ela não funcionava e era difícil de medir de acordo com o perfil dos funcionários, demandava um equipamento necessário, certa qualidade da internet e tempo, que muitas vezes era utilizado o período de trabalho e resultava em altos custos.

Entenda melhor como é o funcionamento de uma plataforma de e-learning.

Plataformas de E-learning

colaboradores em treinamento e-learning

O e-learning funciona a partir de um sistema de gestão de aprendizagem caracterizado por uma plataforma, também conhecido como LMS, ou Learning Management System.

Esse Sistema de Gestão da Aprendizagem vai disponibilizar diversos recursos, acontecendo em tempo real ou não, para a aprendizagem.

E para criar, hospedar, gerenciar e comercializar seus cursos online será necessário contar com essa plataforma.

Quanto maior o número de funcionalidades, maiores serão as suas possibilidades de diferenciação e de formatos, o que exige uma plataforma completa.

As funcionalidades das plataformas de e-learning podem variar, mas normalmente são segmentadas a partir das seguintes áreas de integrações:

  • Analytics;
  • Marketing;
  • Vídeo;
  • Ao vivo;
  • Chat;
  • Pagamento;
  • Conversão;
  • Pesquisa;
  • E retarget.

Nesse sentido procuram oferecer tudo o que você possa precisar para o seu negócio e o seu conteúdo. Mas isso irá depender da plataforma de e-learning escolhida por você.

A ideia era a de trabalhar com diversas integrações na busca por montar um curso mais completo, flexível e personalizado dentro dos seus interesses e ambições.

Porém, esse formato proposto pelo e-learning não se adequa mais ao momento atual do consumo de informações e estilos de aprendizagem, que mais uma vez evoluiu.

Por apresentar uma quantidade muito grande de informações e conteúdos, a retenção do conhecimento acabou prejudicada. E ainda,  surgiu a dificuldade em mensurar a compreensão dos alunos.

A e-learning já foi muito boa no passado e deu importantes passos para chegarmos na tecnologia utilizada atualmente na busca por um RH mais estratégico. Um deles, foi o surgimento de dados definidos através dos indicadores de treinamento.

Indicadores de treinamento

Para medir os resultados é preciso definir quais Indicadores de desempenho ou  Key Performance Indicators (KPIs) serão avaliados em um determinado processo.

Nos treinamentos corporativos, eles são essenciais para estimar a qualidade de trabalho, além de ser a melhor ferramenta para encontrar e corrigir problemas.

Separamos alguns desses indicadores que podem ser aplicados no aprendizado EaD. Confira!

1) Taxa de adesão

A taxa de adesão é útil para avaliar o interesse do público-alvo pelo assunto e, também, a eficiência ou não da divulgação de um treinamento.

Nesse caso, para calcular basta pensar na porcentagem. Por exemplo, se o número de pessoas esperado era de um total de 30 pessoas e 15 participaram, a taxa de adesão foi de 50%.

Mas esse cálculo não permite metrificar a qualidade do aprendizado. E a presença pode não significar aprendizado.

2) Taxa de abandono

Se de 30 pessoas que deram início ao treinamento menos da metade se manteve até o final, isso pode ser um sinal de alerta. O número indica a taxa de abandono, mas o que é relevante nesse caso é descobrir sua razão.

Você precisa perguntar o que aconteceu, levantar hipóteses considerando o conteúdo ou metodologia e investigar.

3) Reação dos participantes

De acordo com o relatório já citado, Panorama do Treinamento no Brasil 2017-2018, 79% das ações de treinamento têm avaliação de reação, ou seja, o aluno avalia a qualidade e aplicabilidade do curso.

Mas para que seja de fato eficaz, é preciso contar com a sinceridade e veracidade das avaliações. Muitos funcionários podem se sentir pressionados, intimidados ou até constrangidos em apontar falhas na iniciativa disponibilizada pela empresa.

Nesse caso, a gestão do RH deve deixar claro que todos eles são livres para opinar e que isso não lhes causará nenhum inconveniente ou retaliação.

Além disso, as reações positivas com relação ao treinamento não quer dizer que os funcionários terão bom aprendizado ou potencial para mudanças de atitude.

4) Média da avaliação

Esse indicador ajuda a medir se o funcionário aprendeu bem o conteúdo transmitido.

É o segundo indicador de treinamento mais aplicado nas empresas brasileiras (em 28% dos treinamentos).

A média da avaliação é realizada por meio da aplicação provas ou teste, exigindo que o participante atinja uma média mínima. O certificado pode estar condicionado a ela.

Leia mais: Avaliação de Aprendizado: Entenda como avaliar o seu T&D

Mas é importante entender que o resultado médio muitas vezes não é um fator decisivo. É preciso ficar atento aos dados colhidos, para que possa ter uma visão geral e a partir daí, pensar em estratégias de desenvolvimento.

5) Aproveitamento individual

Também é importante avaliar o momento seguinte ao treinamento e com isso é possível avaliar quantos desenvolveram novas competências e deram uma guinada na carreira.

6) Multiplicadores internos

Esse método mede a evolução na taxa de multiplicadores na empresa. São os profissionais que sentem-se estimulados em compartilhar com os colegas o conhecimento dentro da empresa

Esse é um resultado interessante para algumas organizações, uma vez que, a difusão do conhecimento internamente reduz os custos com treinamentos.

7) Retorno sobre o Investimento

O Retorno sobre Investimento (ROI) é o cálculo feito sobre o valor aplicado em treinamentos, e demonstra se as suas ações trouxeram bons resultados financeiros.

Para medir o ROI de um treinamento, deve-se incluir todas as despesas e observar a variação dos resultados da empresa antes e após a aplicação do treinamento.

Saiba mais sobre o que é e como calcular ROI em treinamento e desenvolvimento.

Embora interessantes para trazer números e mudanças, os LMS acabaram trazendo mais um problema: os relatórios de desempenho.

As constantes aplicações e grandes números de funcionários, resultaram em um banco de dados extenso, mas que não é útil à medida que fica inviável analisar as informações e achar elementos relevantes.

E ainda não foram capazes de comprovar a qualidade do aprendizado.

Mas de qualquer forma, o e-learning e seus indicadores de treinamento influenciaram o meio corporativo. Entenda melhor!

A Educação Corporativa e o E-learning: as transformações e tendência

produtividade de colaboradora com e-learning

O avanço tecnológico e as inovações impulsionaram a educação corporativa e impactaram diretamente no aumento da competitividade de produtos e serviços ofertados no mercado.

Nesse sentido, através do e-learning houve uma motivação em busca da otimização de processos internos, do aumento de produtividade e da busca pela experiência e satisfação do funcionário.

Tudo isso partiu dos gestores, mas também dos próprios funcionários, que acabam deixando a empresa à medida que se sentem incapacitados ou pouco valorizados.

Ainda segundo a pesquisa citada ao longo do texto, o turnover no Brasil atinge cerca de 25% das pessoas e entre os motivos de troca de empresa, está a falta de informações (treinamento) suficientes para desempenhar suas funções.

E tudo isso reforça a ideia de que a estratégia corporativa que envolve o uso do e-Learning é brilhante, desde que a evolução não pare por aí e continue se desenvolvendo.

E depois que distância deixou de ser uma barreira, surgiram novos dispositivos e aplicativos, melhorou a velocidade e desempenho de Internet e aumento o uso de  smartphones, em especial no Brasil, o contexto introduz o uso do Mobile Learning.

Mobile Learning

Se você parar para pensar, as telas que utilizamos se tornam a cada dia menores e mais portáteis. E o Mobile Learning, ou apenas mLearning, é caracterizado pelo uso  de um aplicativo nativo para aprendizado, através do seu celular.

Já que vivemos em um mundo cada vez mais mobile, o mundo corporativo precisa acompanhar essa mudança de hábitos.

Essa proposta do Mobile transforma a maneira com que os colaboradores lidam com de experiências de aprendizado. O estudo não é mais voltado para pessoas que permanecem sentadas à sua mesa na frente de um computador.

A geração que está chegando no mercado de trabalho já cresceu junto às inovações tecnológicas e acompanham esse ritmo. Com isso, buscam cada vez mais, encontrar processos inteligentes, rápidos e dinâmicos nos meios digitais.

E a Niduu pode te ajudar a implantar essa tendência na sua empresa!

Com todas as vantagens do Mobile Learning, será mais fácil trazer bons resultados para sua empresa e qualificar ainda mais a sua equipe.

Apesar de obsoleta, foi graças às barreiras rompidas pelo E-learning que hoje conseguimos transmitir informações, dar treinamentos na palma da mão e facilitar a vida do RH de uma maneira funcional, metrificada e satisfatória para todos.

Entre em contato e saiba mais sobre como dar início aos nossos treinamentos na sua empresa!

Fonte: Niduu - Disseminando Conhecimento.

Niduu Somos uma startup de Educação Corporativa com uma solução que consegue treinar todos os colaboradores de qualquer nível de forma contínua, dinâmica e efetiva com base na Microlearning, Mobile Learning e Gamificação.

Comentar
Compartilhar