Postura Profissional: 5 Passos para Mudar o Comportamento do Colaborador

Ensinar conteúdos técnicos é fácil, difícil mesmo é melhorar a postura profissional do colaborador.

Se você se identifica com essa frase, temos uma boa notícia: é possível, sim, mudar o comportamento dos profissionais com a abordagem certa.

O sonho de toda empresa é contar com colaboradores engajados, éticos e comprometidos com os resultados, que levam sua profissão com seriedade e se apresentam impecavelmente.

postura profissionalEles(as) sabem se comunicar, são criativos(as), responsáveis, pontuais e ainda se integram perfeitamente à cultura da empresa.

Para desenvolver esse perfil nos seus colaboradores, você precisa de treinamentos realmente engajantes, capazes de transformar atitudes e despertar o melhor das pessoas.

Com a estratégia certeira, você investe nos profissionais além do quesito técnico, focando na personalidade e comportamento ideais para a empresa.

É esse tipo de colaborador que você quer? Então acompanhe nosso guia e aprenda como criar profissionais virtuosos.

O que é exatamente postura profissional?

Postura profissional é o conjunto de atitudes e comportamentos considerados apropriados ao exercício da profissão, principalmente no que diz respeito às competências, ética e responsabilidade.

Para além dos conhecimentos e habilidades técnicas, o profissional deve adequar seu modo de agir e sua apresentação pessoal às normas da empresa.

Mas, acima das políticas da organização, a postura profissional ideal deve ser guiada pelo bom senso e bom gosto, que formam a base do convívio no ambiente de trabalho.

Demonstrar profissionalismo significa se comunicar de forma clara e respeitosa, ter seriedade nos posicionamentos e compromisso com o trabalho.

Logo, podemos dizer que a postura profissional é um requisito básico para o sucesso na carreira, pois determina a imagem pessoal do colaborador e sua capacidade de crescer.

postura profissional com ética

Por que a postura profissional é importante?

Geralmente, os empregadores percebem a importância da postura profissional no momento do recrutamento e seleção.

Isso porque os problemas de comportamento estão entre as reclamações mais constantes das empresas, que sofrem para encontrar profissionais com as atitudes corretas.

Um estudo da FGV Clear em parceria com a JPMorgan, publicado na Gazeta do Povo, mostra que 80% das empresas do Estado de São Paulo têm muita dificuldade em contratar, enquanto que 85% precisam reformular seus treinamentos constantemente.

O que mais chama atenção no relatório é a gravidade de problemas como a carência de profissionalismo, comunicação ruim e falta de comprometimento.

Sem as competências comportamentais certas, o profissional não consegue se integrar com outras áreas e falha em tomar decisões, melhorar seu desempenho ou trabalhar em equipe.

Os traços de personalidade, surpreendentemente, estão pesando mais do que o conhecimento técnico, tornando o recrutamento ainda mais desafiador.

Soft skills e a postura profissional

As chamadas soft skills ou competências comportamentais estão em evidência no mundo todo, mais valorizadas do que nunca pelas empresas.

Não à toa, a postura profissional está no topo das características mais procuradas pelos recrutadores.

Segundo o estudo recém-lançado 2019 Global Talent Trends do Linkedin, 91% dos executivos de RH acreditam que as soft skills são a tendência do futuro.

Com o avanço das tecnologias, em especial no campo da automação e inteligência artificial, as capacidades exclusivamente humanas como trabalhar em equipe, comunicar com excelência e encontrar soluções criativas estão em alta.

Na mesma onda, o Conselho de Recursos Humanos da Forbes indica o desenvolvimento de soft skills como tendência absoluta em T&D para 2019 para aprimorar a postura profissional.

Assim, investir na postura profissional dos colaboradores e desenvolver sua comunicação, inteligência emocional e colaboração são prioridades para as organizações.

5 passos para melhorar a postura profissional do colaborador

postura profissional melhorada com treinamentos baseados em mobile learning, microlearning e gamificação

Já ficou claro que a postura profissional é fundamental, mas como melhorar esse aspecto tão pessoal dos colaboradores?

A resposta está no guia exclusivo que preparamos.

1)  Defina suas competências-chave

Antes de investir em treinamentos, você precisa saber exatamente quais são as competências-chave para atingir os objetivos do negócio.

No caso da postura profissional, quais aspectos são mais importantes para os seus colaboradores?

Em uma equipe de vendas, por exemplo, o foco deve estar na comunicação e atendimento excelente, enquanto o pessoal administrativo pode se beneficiar de treinamentos em ética profissional e gestão do tempo.

2)  Faça o levantamento de necessidades de treinamento

O famoso levantamento de necessidades de treinamento ou LNT também vale para as competências comportamentais.

No processo, você deve mapear as competências atuais e desejáveis dos colaboradores em cada área da empresa para definir a melhor maneira de aprimorar as habilidades.


Material que você pode gostar:

postura profissional planilha LNT para levantar necessidades de treinamentos

Alguns dos melhores treinamentos para aprimorar a postura abordam liderança, atendimento, ética profissional, comunicação e oratória, entre outros temas centrais.

3)  Aposte nas estratégias de gamificação

Gamificar significa aplicar a mecânica de jogos aos treinamentos para engajar os colaboradores na missão de aprender. Afinal, os mecanismos de recompensa e raciocínio dos games tornam o aprendizado muito mais dinâmico, divertido e eficiente.

No vídeo abaixo, você poderá aprender com, Rômulo Martins, Prof. Dr. em Gamificação na Educação, 7 formas de recompensar ou reconhecer os colaboradores usando a Gamificação dentro de um Treinamento Corporativo

São recompensas que vão desde um mural de destaques até uma carta do Diretor Presidente. 


Para aspectos da postura profissional, a gamificação em treinamentos corporativos pode ser muito útil para mudar comportamentos em vez de apenas transmitir conteúdos.


Material que você pode gostar:

postura profissional quiz diagnóstico aplicar a gamificação em treinamentos

4)  Use a tecnologia para engajar

As soluções tecnológicas em treinamentos são grandes aliadas do RH, pois simplificam o processo, reduzem custos e permitem a personalização do aprendizado.

Segundo o estudo 2018 Workplace Learning Report do Linkedin, o desafio número um é superar a falta de tempo dos colaboradores para realizar os treinamentos.

Para isso, as tecnologias digitais e mobile são perfeitas, pois viabilizam o estudo a qualquer hora e lugar, com muito mais flexibilidade para o profissional.

5)  Acompanhe os resultados de perto

Depois de implementar os treinamentos focados na postura profissional, você precisa acompanhar e mensurar os resultados.

Essa é uma das partes mais difíceis, pois o ROI dos treinamentos costuma ser nebuloso, ainda mais quando se trata de aspectos comportamentais.

Material que você pode gostar:

postura profissional planilha ROI em treinamentos

Nessa hora, a tecnologia também pode ajudar muito, especialmente com a inteligência de dados.

Imagine ter acesso a relatórios completos sobre o desempenho dos colaboradores, nível de esforço e gaps de competências identificados no treinamento.

Parece um sonho? Pois o mobile learning combinado ao poder dos dados já é uma realidade.

Com os resultados em tempo real, você pode intervir a qualquer momento para melhorar os treinamentos e garantir o sucesso, além de ajustar perfeitamente o conteúdo às necessidades dos colaboradores.

Assim, cursos sobre postura profissional estarão sempre na palma da mão, estimulando colaboradores a passar de fase rapidamente.

Que tal implementar esse treinamento inteligente na sua empresa? Se você gostou da ideia, vem ver como funciona. =)

Fonte: Niduu - Disseminando Conhecimento.

Niduu Somos uma startup de Educação Corporativa com uma solução que consegue treinar todos os colaboradores de qualquer nível de forma contínua, dinâmica e efetiva com base na Microlearning, Mobile Learning e Gamificação.

Comentar
Compartilhar